Twitter Facebook YouTube

CUT SC > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUES > NOTA DE REPÚDIO: PERSEGUIÇÃO, MEDO E DEMISSÕES DE PROFESSORES NA UNIVALI

Nota de Repúdio: Perseguição, medo e demissões de professores na Univali

08/06/2018

A CUT-SC está junto com SINTE/SC no combate às práticas de perseguição política que ocorrem com os profissionais de educação em todo o país. O caso mais recente aconteceu na Universidade do Vale do Itajaí, que injustamente demitiu e reduziu a carga horária de professores que iam contra a política da atual administração.

Escrito por: CUT-SC e SINTE/SC

A CUT-SC está junto com SINTE/SC no combate às práticas de perseguição política que ocorrem com os profissionais de educação em todo o país. O caso mais recente aconteceu na Universidade do Vale do Itajaí, que injustamente demitiu e reduziu a carga horária de professores que iam contra a política da atual administração. A central presta sua solidariedade aos professores prejudicados e repudia a atitude da universidade.

Confira a nota do SINTE/SC:

O SINTE/SC denuncia e repudia as práticas de perseguição política, redução de carga horária e demissões arbitrárias, ocorridas a professores da Univali – Universidade do Vale do Itajaí.

De acordo com informações do Sindicato dos Professores de Itajaí e Região (Sinpro) e de reportagens na imprensa, as demissões por “justa causa” foram de três professores, incluindo a professora Cássia Ferri, que disputou a reitoria da instituição na eleição de fevereiro de 2018. Outra denúncia é sobre a redução da carga horária de 20 professores, que apoiaram Cássia na disputa pela reitoria.

Não bastasse tais ações autoritárias, sem qualquer aviso prévio, os profissionais estão sendo acusados, sem comprovação, por problemas financeiros da instituição. No caso da Professora Doutora Cássia, há 24 anos de universidade e uma respeitada carreira docente da instituição, a mesma foi retirada de sala de aula para receber a demissão. Ela ainda foi acusada de ter “dado bolsas demais do Pro-uni”, acusação que contraria a vocação comunitária da universidade, e afirma que as decisões eram tomadas em equipe e junto a pessoas que também estavam na administração à época em que era vice-reitora de Graduação.

Para o SINTE/SC está clara a perseguição político-ideológica da atual administração, pois não existe qualquer justificativa para as demissões, tão pouco, motivos comprovados para dispensar os/as trabalhadores/as por justa causa. A Univali age de forma autoritária, sem qualquer diálogo com os docentes, com viés revanchista e com intenção de calar a voz dos professores.

O SINTE/SC reafirma seu repúdio as perseguições na Univali, reitera seu apoio e solidariedade aos professores/as, muitos com vários anos de dedicação a Universidade e a educação em SC, e que agora estão sendo atacados de forma veemente, constrangidos, ameaçados por seus posicionamentos políticos de oposição a atual gestão, o que atinge diretamente o estado democrático de direito e caracteriza a ação antisindical, algo impensável numa instituição universitária.

 

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.

João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta(...)

RÁDIO CUT
Programa DizCUT Jornal dos Trabalhadores

CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES DE SANTA CATARINA
Rua Visconde de Ouro Preto, 87 | Centro | CEP 88020-040 | Florianópolis | SC
Fone: (048) 3024-2053 | www.cut-sc.org.br | e-mail: cut-sc@cut-sc.org.br