Twitter Facebook YouTube

CUT SC > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUES > APROVADAS AS EMENDAS DO PLC 024 A FAVOR DOS PROFESSORES NA COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO

Aprovadas as emendas do PLC 024 a favor dos professores na Comissão de Finanças e Tributação

20/12/2017

As emendas sugeridas pelo Sinte/SC ao projeto - que altera pontos do Plano de Carreira do Magistério Público Estadual - foram aprovadas na Comissão de Finanças e Tributação. A vitória, porém, é parcial, pois na tarde de hoje as emendas seguem para a Comissão de Constituição e Justiça e depois a PLC vai para votação no plenário.

Escrito por: Pricila Baade

Professores comemoram a aprovação das emendas na Comissão de FInanças e Tributação

 

Na manhã desta quarta-feira (20) os professores da Rede Estadual conseguiram uma vitória. As seis emendas ao Projeto de Lei Complementar (PLC) 0024.2/2017 sugeridas pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação na Rede Pública de Ensino do Estado de SC (Sinte), foram aprovadas na Comissão de Finanças e Tributação. A vitória, porém, é parcial, pois na tarde de hoje as emendas seguem para a Comissão de Constituição e Justiça e depois a PLC vai para votação no plenário.

O PLC altera pontos do Plano de Carreira do Magistério Público Estadual e o Sinte/SC apresentou algumas emendas com o objetivo de retirar pontos negativos do projeto e alterar favoravelmente seu conteúdo para beneficiar os trabalhadores de educação.

A grande defensora da aprovação das emendas na Comissão de Finanças e Tributação foi a deputada estadual Luciane Carminatti (PT). Professores e coordenadores sindicais de todo o Estado estão em vigília desde terça-feira (19) na Assembleia Legislativa para acompanhar a votação do projeto nas comissões. Com faixas e cartazes, eles estão pressionando os deputados para que os seus direitos sejam garantidos.

Entre os pontos incluídos no PLC estão o abono da falta de 17 de abril de 2012, data de uma Assembleia realizada pelo Sinte para discutir a greve que aconteceria naquele ano. Mesmo que o dia já tenha sido reposto pelos professores, por uma birra do Governo a falta ainda não foi abonada impedindo alguns trabalhadores de educação de progredirem. Durante a reunião da Comissão, Carminatti argumentou “A greve só existiu naquele ano porque o Governo do Estado não cumpriu a Lei Federal do Piso”.

Outra emenda pede a manutenção do reconhecimento dos certificados de capacitação nos moldes atuais, evitando a certificação única pelas universidades e pelo sistema S. As outras emendas pedem a alteração de Carga Horária sem data fim; a progressão imediatamente após o estágio probatório; a progressão para todos que são remunerados pelo estado; e a manutenção de todos os direitos no caso de readaptação.

“As emendas não propõem nada absurdo e nem que vão trazer prejuízos ao Governo. São emendas justas, que apenas colocam na lei acordos já feitos anteriormente”, defendeu a deputada petista.

 

 

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
Tutorial: Saiba como participar da campanha pela anulação da Reforma Trabalhista
Tutorial: Saiba como participar da campanha pela anulação da Reforma Trabalhista

#AnulaReforma

RÁDIO CUT
Programa DizCUT Jornal dos Trabalhadores

CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES DE SANTA CATARINA
Rua Visconde de Ouro Preto, 87 | Centro | CEP 88020-040 | Florianópolis | SC
Fone: (048) 3024-2053 | www.cut-sc.org.br | e-mail: cut-sc@cut-sc.org.br