Twitter Facebook YouTube

CUT SC > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUES > GREVE DOS SERVIDORES DE JARAGUÁ DO SUL FICA FORTALECIDA COM ANULAÇÃO DE VOTAÇÕES NA CÂMARA

Greve dos servidores de Jaraguá do Sul fica fortalecida com anulação de votações na Câmara

08/03/2017

Em greve desde segunda, dia 6 de março, trabalhadores do serviço público municipal de Jaraguá do Sul, lutam contra pacote que retira direitos

Escrito por: Sergio Honrich

A luta dos servidores de Jaraguá do Sul contra o pacote de equilíbrio financeiro, também conhecido como "pacote de maldades do prefeito Antídio Lunelli", saiu fortalecida neste segundo dia de greve, dia 7 de março.

Motivados pelo Mandado de Segurança deferido pela Justiça, que anulou a votação na sessão do dia 3 de março e estabeleceu prazo mínimo de 15 dias para votações dos projetos de lei, os servidores ampliaram a participação no movimento grevista. Pela manhã, mais de 2 mil servidores realizaram a concentração diária na frente do Centro Administrativo Municipal (CAM), aos gritos de palavras de ordem. A avaliação do comando de greve é de que neste momento até 75% da categoria está paralisada.

Por volta das 8h45min, o comando de greve foi recebido pelo vice-prefeito Udo Wagner, a chefe de gabinete do prefeito Emanuela Wulff e a procuradoria geral do município (o prefeito ainda não havia chegado à Prefeitura). Mas, sem sucesso, já que o vice-prefeito disse que "não tem competência legal para negociar". O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Jaraguá do Sul e região - Sinsep, Luiz Cezar Schorner foi taxativo durante a audiência: "Antes de retirar os projetos da Câmara não tem possibilidade de negociação com a administração". Udo Wagner ouviu dos representantes do comando de greve que, segundo o Artigo 169 da Constituição Federal, existem passos a serem seguidos para conter as despesas do município, como cortar em até 20% os gastos gerais com cargos comissionados, por exemplo.

À tarde os servidores acamparam nas imediações da Câmara de Vereadores para acompanhar a sessão ordinária e intensificar a luta com palavras de ordem e paródias: "A greve vai rolar, e o prefeito não pode reclamar, porque não soube respeitar nossos direitos, agora tem que aguentar, deixa a mesa quebrar". E nenhum projeto incluído no pacote de maldades foi à votação. "A mobilização da categoria está barrando os ataques contra os nossos direitos", resume o presidente do Sinsep, Luiz Cezar Schorner.

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
Tutorial: Saiba como participar da campanha pela anulação da Reforma Trabalhista
Tutorial: Saiba como participar da campanha pela anulação da Reforma Trabalhista

#AnulaReforma

RÁDIO CUT
Programa DizCUT Jornal dos Trabalhadores

CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES DE SANTA CATARINA
Rua Visconde de Ouro Preto, 87 | Centro | CEP 88020-040 | Florianópolis | SC
Fone: (048) 3024-2053 | www.cut-sc.org.br | e-mail: cut-sc@cut-sc.org.br