Twitter Facebook YouTube

CUT SC > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUE CENTRAL > SEGUE FALTA DE COMPROMISSO DE DESCHAMPS COM A EDUCAÇÃO CATARINENSE

Segue falta de compromisso de Deschamps com a educação catarinense

07/04/2017

Secretário de Educação, não participa de audiência com os representantes dos trabalhadores e os seus assessores vão para passar recado que o governo não se preocupa com trabalhadores

Escrito por: Graciela Caino Fell

Na audiência do dia 6 de abril com a Secretaria Estadual de Educação - SED o descaso já ficou escancarado, visto que, o secretário nem apareceu para debater com o SINTE, terceirizando suas funções aos seus assessores e ao CONER. A exemplo das últimas reuniões, o Governo se mantém intransigente com a pauta de reivindicações dos trabalhadores em educação.

Sobre a PEC 287 da Reforma da Previdência, a SED lava as mãos sobre a aposentadoria e demonstra não ter preocupação com as consequências didáticos/pedagógicas que esta reforma representará, pois se aprovada, teremos trabalhadores em educação acima de 70 anos em sala de aula, inclusive para os anos iniciais.

Sem se importar com a queda do poder aquisitivo dos trabalhadores em educação, que acumulam perdas salariais desde 2014, o Governo não sinaliza qualquer possibilidade de reajuste salarial, continua não reconhecendo o pagamento do Piso na Carreira, ao contrário de outros estados e redes de ensino.

Argumentam que a mísera política de descompactação tabela aprovado no novo Plano de Carreira que prevê aproximadamente 2,5% em Maio e 2,5% em Novembro atendeu e atenderá até 2018 os supostos “reajustes salariais”, apesar do próprio Secretário em outro momento ter afirmado que a descompactação nada teria a ver com a política de reajustes. Enfim, segundo a fala da assessoria o pagamento das perdas salariais (piso e inflação) só irá ser efetivado através de um “milagre econômico em SC”.

Com relação a anistia das faltas para fins funcionais, o Governo se apresentou indiferente ao magistério, mantendo sua política de punição, mesmo sem significar grande impacto financeiro, se recusa a abonar faltas de assembleias de 2012 a 2014, o que prejudicou as progressões de centenas de trabalhadores. Sobre as faltas da greve de 2015 afirmaram que o projeto de Lei está em discussão na Casa Civil. Vale ressaltar que há mais de 1 ano tal projeto está parado sem que o Governo envie para a Assembleia Legislativa.

Ao ser indagado pelo sindicato sobre o ensino médio noturno, a resposta foi de que haverá um processo de extinção gradual dessa modalidade de ensino. As justificativas são as mais diversas, entre elas o pagamento do adicional noturno para os trabalhadores em educação. Para nós este é um ataque direto aos que mais precisam, os jovens trabalhadores que sem essa oportunidade não terão a condição de seguir seus estudos. Um passo largo para as privatizações, uma política de Estado mínimo que se exime da sua responsabilidade com a educação, retirando o acesso ao conhecimento de uma parcela da população, com o ônus para a classe trabalhadora.

Mais do que nunca está na ordem do dia a necessidade de unificação e luta dos trabalhadores contra o desmonte do estado e da escola pública. Nesse sentido convocamos a categoria para aderir à Greve Geral Nacional no próximo dia 28 de abril, onde toda classe trabalhadora virá as ruas para mostrar sua força e derrotar Temer e Colombo.

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.

João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta(...)

RÁDIO CUT
Programa DizCUT Jornal dos Trabalhadores

CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES DE SANTA CATARINA
Rua Visconde de Ouro Preto, 87 | Centro | CEP 88020-040 | Florianópolis | SC
Fone: (048) 3024-2053 | www.cut-sc.org.br | e-mail: cut-sc@cut-sc.org.br